Google+ Followers

26 dezembro, 2011

Aprendendo com Jesus a começar um Novo Ano



        No calendário judaico, o primeiro mês do ano é o que para nós corresponde a Abril.

Segundo a Bíblia em ordem Cronológica (REESE E. [Org.]. Vida, 2003. p.1102), em Abril do ano 29 d.C começou o último ano de Cristo na terra. Foi quando começou a desenrolar-se a última semana de Jesus antes da cruz. A Páscoa dos judeus é o primeiro evento do ano para eles. E o último ano de Jesus na terra começou com a semana santa. Provavelmente a sexta feira da paixão foi no dia 8 de Abril de 29 d.C.

Jesus iniciou o seu último ano de vida na terra realizando a obra da salvação por meio de seu amor e sacrifício. Por causa disso, hoje vivemos o tempo do perdão e da graça de Deus aos que se arrependem e nEle creem.

Os eventos que antecederam a cruz e marcaram o início do último ano de Jesus na terra ressaltam-nos alguns princípios a serem praticados por todos nós: 

1) A adoração íntima na casa de Lázaro.
2) A exaltação profética na entrada triunfal.
3) A purificação do templo em Jerusalém que nos ensina sobre o zelo e a santidade.
4) A figueira estéril que nos constrange a sermos frutíferos no reino de Deus.
5) A importância de recebermos os ensinamentos de Cristo e Seu Reino.
6) O combate à hipocrisia.
7) A viúva e sua oferta que nos ensinam sobre devoção.
8) O sermão profético que nos convoca a colocar os olhos na eternidade.
9) A traição de Judas que desafia nossa lealdade.
10) A páscoa e a ceia nos chamando para a salvação e para a comunhão.
11) Jesus lava os pés dos discípulos nos ensinando sobre grandeza e humildade.
12) O discurso de despedida que prenuncia nossa missão e saudade.
13) A oração sacerdotal e o Getsêmani que nos ensinam sobre vida de oração.
14) Jesus é preso deixando transparecer sua rendição voluntária por amor de nós.
15) Jesus é julgado e condenado, o que revela o nosso pecado.
16) Pedro nega a Jesus revelando nosso medo, fraqueza e imperfeição.
17) O suicídio de Judas traz-nos à tona um exemplo de decisão errada: o medo de pedir perdão a Deus e deixar-se restaurar por Ele.
18) Barrabás é liberto figurando o destino do qual escapamos.
19) A caminhada até o Gólgota nos faz pensar sobre o peso dos nossos pecados.
20) A cruz que retrata o vitupério e sofrimento de Cristo por amor a nós.
21) A morte de Jesus que consuma a Sua missão.
22) O rasgar do véu que nos coloca nos braços da graça superabundante de Deus.

Então, um novo tempo se inaugurou. A presença de Deus ficou disponível para todos que a queiram, e hoje Ele (O Senhor Jesus) pode habitar em nós (Ap 3.20).

Sim, o último ano de Jesus aqui na terra começou com muita renúncia, sofrimento, entrega e sacrifício. 

Digo com toda certeza; o mundo seria radicalmente transformado, abençoado e inundado com a presença e amor de Deus se nós seguimos o exemplo de Jesus, vivendo 2016 com renúncia, entrega e sacrifícios de amor em prol do próximo e em louvor a Deus.   

Em 2017, lembre-se, Cristo veio para que tivéssemos Vida, e Vida em Abundância (João 10.10).


Éder Carvalho... A todos, Graça e Paz... Feliz Ano Novo!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário