Google+ Followers

22 agosto, 2011

Fidelidade Incondicional: Experiência com Deus


“Se formos atirados na fornalha em chamas, o Deus a quem prestamos culto pode livrar-nos, e ele nos livrará das suas mãos, ó rei. Mas, se ele não nos livrar, saiba, ó rei, que não prestaremos culto aos seus deuses nem adoraremos a imagem de ouro que mandaste erguer.” (Dn 3:17-18)

No ano 580 a.C, Sadraque, Mesaque e Abede-Nego foram provados em sua fidelidade ao Senhor Deus. Eles eram judeus cativos na Babilônia quando Nabucodonosor, rei da Babilônia, construiu uma estátua de ouro e ordenou que todos a adorassem. Se alguém não adorasse a imagem da estátua, seria morto em uma fornalha de fogo feita exclusivamente para este fim, a ordem do rei era clara e não havia possibilidade de ser desobedecida.
            Os três jovens, personagens principais dessa história, eram fiéis a Deus e decidiram não prestar qualquer tipo de culto a qualquer outro deus, a não ser o Deus de Israel, o criador dos céus e da terra.
            Quando Nabucodonosor soube que eles lhe haviam desobedecido, não adorando a estátua de ouro, mandou chamá-los dizendo:
            _É verdade que vocês não servem a meus deuses e nem adoram a estátua de ouro que levantei? Agora, porém, vos darei outra chance. Quando vocês ouvirem o som da música que meus instrumentistas tocarão, será melhor para vocês se adorarem a estátua que levantei, do contrário, serão lançados na fornalha, e qual deus porá livrá-los das minhas mãos?
            Ao que Sadraque, Mesaque e Abede-Nego responderam:
            _ Se formos atirados na fornalha em chamas, o Deus a quem prestamos culto pode livrar-nos, e ele nos livrará das suas mãos, ó rei.
            Nesta frase, os três jovens revelaram que criam no poder infinito e inigualável de Deus. Esta fé nos desafia e nos constrange: será que temos fé em Deus?
            Mas, o mais incrível está por vir. Veja a continuação da resposta que eles deram ao rei Nabucodonosor:
           
          _ Mas, se ele não nos livrar, saiba, ó rei, que não prestaremos culto aos seus deuses nem adoraremos a imagem de ouro que mandaste erguer.
            Com estas palavras, nossos personagens principais deixaram claro que respeitavam a soberania de Deus. Eles criam que o Senhor poderia livrá-los naquela situação, se quisesse. Eles estavam cientes da possibilidade de serem lançados na fornalha e morrerem nela. Ainda assim, eles não trairiam ao seu Deus, morreriam em fidelidade ao Senhor.
            Alguém pode perguntar: “Será que Deus permitiria um fim de história como este?”

          Os mártires da fé são muitos. Eles permaneceram fiéis até o fim, mesmo assim morreram nas mãos dos inimigos do povo de Deus. Dos apóstolos, só João não foi martirizado. E como esquecer a morte de Estevão?
            Deus não deixa de ser Deus, nem deixa de ser glorificado com a morte dos seus. Pelo contrário, cada sangue justo derramado no chão, é mais um grito de adoração! Aqui, eles foram perseguidos, torturados, martirizados e "desonrados". Mas lá, no céu, eles são honrados, e qual honra por ser maior do que esta? Enquanto os homens apedrejavam Estevão, os céus se abriam, Deus Pai e Deus Filho lhe apareceram para o receberem com honra no céu de glória.
            O fim do episódio, estrelado por Sadraque, Mesaque e Abede-Nego, todos conhecem. Eles foram libertos e saíram ilesos da fornalha de maneira sobrenatural. Mas agora mesmo, outras pessoas não estão tendo o mesmo fim.

A Coréia do Norte hoje é o país onde o cristianismo é mais atacado. O atual presidente é Kim Jong-Il (este devocional foi escrito no início de 2011). O regime é comunista. Ser cristão é extremamente perigoso na Coréia do Norte; O Estado não hesita em torturar e matar qualquer um que possua uma Bíblia, esteja envolvido no ministério cristão, organize reuniões ilegais, ou até que tenha contato com outros cristãos. Os cristãos que sobrevivem às torturas são enviados para os campos de concentração. Lá, recebem diariamente alguns gramas de comida de má qualidade p/ sustentar o corpo que trabalha por 18 horas. Não é ficção, é realidade!
Mas, o que faz estas pessoas serem fiéis até a morte? O que Deus tem de tão especial para elas, ao ponto de fazê-las preferirem morrer a adorarem outro deus? O que Cristo representa para estes nossos irmãos? Só quem conhece a Deus pode entender isso.
Quero que você assista o vídeo abaixo, é uma história real e atual, um testemunho verídico. Duvido que você conseguirá segurar as lágrimas.
Esta é a história da jovem Kyung Ju Song:

Estas pessoas não trocam o Senhor por nada, porque tiveram uma experiência real com Ele. Elas permanecem fieis a Cristo até o fim, porque conhecem profundamente a Deus. E você, pode dizer que conhece a Deus? Você iria com Ele até para a fornalha se preciso fosse?

Temos a maior facilidade em responder sim. Mas se não estamos nem mesmo fazendo algo pelos cristãos e missionários que estão agora em situações como essas, duvido que nossa fidelidade é realmente incondicional. Duvido que conheçamos a Deus como estes irmãos O conhecem.

Se o nosso coração não é quebrantado palas coisas que quebrantam o coração de Deus, é porque nosso coração está distante do coração de Deus.
Quer um bom projeto missionário para apoiar?

Acesse: 
www.projetoburkinafaso.wordpress.com

E ainda: 
www.missoessiloe.com.br

 Deus abençoe a todos... Graça e Paz!


Nenhum comentário:

Postar um comentário